sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Pelo visto, o "cometa do século" ainda vive!

Para atualização, veja o artigo Bye, bye, ISON!
Pelas últimas informações liberadas pela NASA e pela ESA (Agência Espacial Europeia), parece que uma parte do cometa ISON sobreviveu mesmo ao periélio. O corpo brilhante que aparece afastando-se do Sol tem uma trajetória compatível com a prevista para o corpo celeste.
O ISON, logo após o periélio. (Fonte: SOHO/NASA/ESA.)
O ISON, logo após o periélio. (Fonte: SOHO/NASA/ESA.)

ISON: a saga continua

Pelo que tudo indica, pelo menos uma parte do núcleo do cometa sobreviveu ao periélio, como mostra a fotografia feita pelo SOHO, logo após o ISON ter passado a 1,2 milhão de quilômetros do Sol.

O brilho do ISON voltou a crescer logo após o periélio. (Fonte: SOHO/NASA.)
O brilho do ISON voltou a crescer logo após o periélio. (Fonte: SOHO/NASA.)

 

Cometa ISON se desintegrou?

Observando as últimas imagens do SOHO, temos a impressão de que o cometa ISON pode ter se desintegrado. Esperemos confirmação.

 

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

ISON

O cometa ISON há pouco atingiu o periélio, ou seja, o ponto de sua órbita mais próximo do Sol.

 

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Cometa ISON: será que ainda dá?

Nos meios astronômicos, o ISON é o assunto do momento, já que um cometa resistir a sua aproximação do Sol, a ponto de ser observável com equipamentos simples, não é algo tão comum assim.

Desde o último fim de semana a observação tem sido possível, e estamos nos últimos momentos em que isso seria viável. Acontece que o ISON está se aproximando de seu periélio, o ponto de sua órbita mais próximo do Sol. Isso deverá acontecer no dia 27 de novembro. O problema é: quanto mais próximo de nossa estrela, mais difícil é a visualização, já que a luz diurna ofusca completamente o brilho do cometa.

Como ainda não tive sorte para observá-lo, já que todas as tentativas foram frustradas por uma "bela" concentração de nuvens no campo de visão, vou me contentando com as fotos publicadas ao redor do globo. Uma das mais bonitas imagens feitas do ISON é essa que segue, obtida por Juan Carlos Casado em 21 de novembro, nas Ilhas Canárias.

Cometa ISON sobre as Ilhas Canárias, em 21/11/2013. (Fonte: Juan Carlos Casado.)

Após passar pelo periélio, o cometa não será mais visível a partir do hemisfério sul, encerrando nossas possibilidades de visualização.

Vamos tentar observar?

Caso queira fazer uma observação, você precisará de um bom binóculo (ou luneta astronômica) e das informações abaixo. Ah! E saber se orientar, é claro!

Nos próximos dias (incluindo a próxima madrugada), o ISON estará logo abaixo e à direita da estrela Spica, a mais brilhante da constelação de Virgem, facilmente localizada olhando para o leste por volta das 5h20 da manhã.

[notice]Há um porém: a menos que você esteja em um lugar bem longe das luzes da cidade e com o horizonte não obstruído por árvores ou construções, não creio que seja possível a observação. Por quê? O cometa estará baixo e, quando sua elevação for mais adequada, o Sol estará nascendo, estragando tudo![/notice]

Localização da estrela Spica, da constelação de Virgem, vista de Guarulhos, às 5h21 da manhã de 23/11/2013. (Fonte: Stellarium.)

Muito bem, tendo localizado a estrela, procure com o binóculo o cometa, abaixo e à direita dela.

Localização do cometa ISON, visto de Guarulhos, às 5h28 da manhã de 23/11/2013. (Fonte: Star Walk.)