quarta-feira, 29 de julho de 2015

Alguns passos para uma boa observação do céu

Stargaze. (Fonte: Wikimedia Commons.)
A observação do céu é uma atividade muito prazerosa, que nos permite ficar horas procurando objetos e fenômenos interessantes de se ver. Com custo praticamente zero, basta um céu limpo e uma noite escura que já nos sentimos tentados a ir ao quintal e olhar para cima. Porém, alguns passos simples podem melhorar a experiência, oferecendo ao observador uma recompensa muito maior.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Nosso tamanho no universo


É incrível o quão insignificante somos em relação ao Universo. Mas por menor que seja este planetinha azul, é a nossa casa! E precisamos cuidar muito bem dele.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Relação das constelações

A esfera celeste está dividida em 88 regiões, denominadas constelações. Cada uma dessas regiões surgiu a partir dos agrupamentos clássicos de estrelas, conhecidos por todos, pelo menos por nome.
Como as constelações cobrem todo o céu, qualquer astro pertencerá, necessariamente, a uma constelação, mesmo que temporariamente (como é o caso dos planetas, por exemplo).
Eis a relação, com o nome internacional, em latim, e o nome em português. Apresentamos também a abreviação do nome da constelação, a grafia do genitivo e a estrela mais brilhante.
Genitivo é um caso na declinação de um nome que indica relação de posse. Por exemplo, quando uma estrela é denominada α Tauri, isso significa “a estrela alfa de Touro”, já que Tauri é o genitivo de Taurus.

terça-feira, 30 de junho de 2015

Encontro de deuses

Hoje, 30 de junho de 2015, acontece a máxima aproximação aparente entre Vênus e Júpiter, fenômeno astronômico que vem chamando a atenção das pessoas já há algumas semanas.

Aproximação entre Vênus e Júpiter. (Foto do autor.)
Aproximação entre Vênus e Júpiter. (Foto do autor.)

Facilmente observado em ambos os hemisférios, os dois planetas lentamente "marcharam" um em direção ao outro, como dois corpos muito brilhantes no céu, ao entardecer e cair da noite, rumo ao horizonte oeste.

Mas esses planetas estão realmente próximos?

Na verdade, não!

Vênus é um planeta rochoso interior, o segundo de nosso sistema solar a partir do Sol. Júpiter, por sua vez, é um gigante gasoso exterior, o quinto a partir de nossa estrela. Dizemos que um planeta é interior quando sua órbita está antes da órbita da Terra, tendo o Sol como referência. Analogamente, planeta exterior é aquele que orbita o astro-rei após a órbita terrestre.

No momento da publicação deste artigo, Vênus está a cerca de 78 milhões de quilômetros de nós, enquanto Júpiter encontra-se a cerca de 908 milhões de quilômetros. Então, por que essa aparente proximidade entre eles?

Máxima aproximação entre Vênus e Júpiter, em 30 de junho de 2015. Ponto de vista acima da eclíptica. (Imagem obtida com o aplicativo Celestia.)
Máxima aproximação entre Vênus e Júpiter, em 30 de junho de 2015. Ponto de vista acima da eclíptica. (Imagem obtida com o aplicativo Celestia.)

É uma questão de ponto de vista! Se pudéssemos observar o Sistema Solar de um ponto localizado acima da eclíptica (o plano da órbita da Terra), notaríamos que o nosso planeta e os dois protagonistas desse fenômeno estão praticamente alinhados. Assim, você vê Vênus, bem mais brilhante, e atrás dele, menos brilhante, Júpiter.

Note que, após essa máxima aproximação, ao longo dos próximos dias, observaremos os dois astros se afastando um em relação ao outro, e com posições trocadas: Júpiter abaixo, e Vênus acima.

O título deste artigo

Por que "encontro de deuses"?!

Na mitologia romana, Vênus é a deusa do amor e da beleza, correspondente à deusa grega Afrodite. Júpiter, também chamado Jove, é o deus do céu e do trovão, o rei dos deuses. Júpiter equivale a Zeus, na mitologia grega.